segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Sobre "Inconsciente Inconsequente" e o filme A Origem

     
         Nós só nos importamos em viver aquilo que vemos, sendo realidade ou não. Vivemos o que vemos sem questionar, acreditando que tais idéias são nossas, que não vale a pena buscar a resposta para nossas duvidas, que a nossa sociedade não muda e que a corrupção vai continuar não importa o que fizermos. Somos seres descrentes em nós mesmos, acostumados com a mídia mostrando o que devemos comprar, o que devemos fazer, como devemos viver, como devemos buscar nossos futuros, a casa que devemos ter para sermos aceitos, o carro do ano, os produtos para cabelo, pele, corpo, todos com a promessa de nos tornar mais bonitos, mais populares, mais aceitáveis a sociedade. 
       As propagandas, o marketing, os programas de TV, sempre ditando nossas escolhas. Somos alheios à isso, compramos inconscientemente. Afinal, se não fosse isso, como explicaríamos o termo moda? Moda, moda, moda. Expressões como “A roupa da moda”, a “tendência atual” “esse sapato ta na moda” entre outras só reforçam a nossas escolhas impostas pela mídia (TV, revistas, jornal, internet, radio) que não são nada menos que propagandas de produtos. Nós como tolos acostumados a não criticar e aceitar que tais mídias expressam o gosto da maioria da população compramos produtos absurdos apenas para sermos aceitos na sociedade. Eu compro esses produtos, você compra, ele compra, todos compramos. Não somos burros completos, somos tolos. Inteligentes são os publicitários que conseguem fazer propagandas para nós comprarmos inconscientemente produtos, que muitas vezes não são de nossa precisão, acreditando que compramos por nós mesmos, porque estamos com vontade, porque gostamos daquilo.
        Tais propagandas plantam uma ideia fixa na nossa mente, como um vírus (como Cobb cita no filme) difícil de ser combatido, e impossível de ser combatido sem questionamento, sem perguntas como ‘porque preciso disso?’, sem força da nossa mente, sem a autenticidade e a vontade de não ser condicionado, de não ficar só na zona de conforto, a coragem de ser diferente da sociedade. Tais idéias não são impostas somente por propagandas, este é um exemplo, idéias podem ser implantadas na nossa mente sem a necessidade de entrar no sonho do outro, musicas, filmes, revistas, amigos. Tudo pode nos influenciar, sendo sutil. Termos o habito de questionar, até mesmo o que achamos ser nossa ideia  nós deixa são. Nos deixa pessoas melhores e mais fortes mentalmente. Nos faz ter personalidade e caráter, e nos faz acreditar que sim, nós podemos mudar a corrupção, os problemas sociais, porque afinal, quem nós faz pensar que não somos capazes somos nos mesmos, nossos amigos, a sociedade. Fazemos isso inconscientemente, como num sonho (ex do filme), porque somos influenciados sutilmente para fazermos tais coisas que acabamos acreditando que são nossas idéias, que aquilo é a nossa verdade. Essa é a maior mensagem do filme, não precisamos de estar sonhando para sermos condicionados, somos influenciados pelos outros ‘inconscientemente’ como se as pessoas entrassem nos nossos sonhos, e estágios mais profundos da nossa mente, como no filme, mas na vida real. Mais real impossível alias, pra mim, meu token é o questionamento.
                                           

Um comentário:

  1. A sociedade quer Andróides, e queremos ser livres!!! Lindo texto

    ResponderExcluir